30 junho 2008

Como Ser Feliz... Apesar dos Pesares


Vivemos em um mundo no qual as pessoas não sabem o que querem e estão dispostas a passar pelas piores coisas para consegui-lo.
(Donald R. Marques)

As pessoas felizes sentem-se bem a respeito de si mesmas, possuem uma elevada auto-estima, autocontrole e são expansivas. As características marcantes das pessoas felizes são o otimismo e a esperança. Elas acreditam que as coisas vão dar certo. As pessoas felizes assumem a responsabilidade pela sua vida, o que tende a melhorar a sua saúde e seu estado de espírito.

É claro que nem mesmo as pessoas felizes são felizes o tempo todo. Uma abordagem alegre e feliz à vida requer que você entenda que toda vida possui sua parcela de aflição. Ser feliz não significa exibir um sorriso permanente. Os planos nem sempre funcionam, todo mundo tem os seus dias desfavoráveis, e as pessoas próximas a você se machucam e até mesmo morrem. Ser feliz simplesmente significa que você esta basicamente satisfeito com a sua vida e os seus relacionamentos, que está tendo um boa dose de alegria. As pessoas felizes aproveitam a vida e aceitam os momentos difíceis com uma atitude “para cima”. Como disse certa vez o escritor Thomas La Mance: “A vida é o que nos acontece enquanto estamos fazendo outros planos”.

Se você não é essencialmente uma pessoa feliz, pense nas seguintes sugestões para aumentar a sua felicidade, algumas das quais se baseiam no trabalho de David Meyers, psicólogo e professor do Hope College em Holland, no Estado de Michigan:

Faça exercícios e tenha uma alimentação saudável. Quanto melhor você se sentir fisicamente, maiores as suas chances de se divertir na vida. É difícil, e talvez impossível, você se sentir emocionalmente “para cima” se estiver cansado e esgotado.

Relaxe com frequência. Você reduzirá o stress e equilibrará o espírito.

Durma o suficiente. O seu corpo precisa da “recarga” que o sono proporciona. Não passe a perna em si mesmo; você não ficará em sua melhor forma.

Desenvolva relacionamentos próximos. Compartilhe amor e sentimentos positivos. Somos seres sociais e não vivemos muito bem no vácuo.

Identifique suas convicções. Declare com firmeza as suas convicções e o seu relacionamento com Deus ou com o se Eu Superior. Aja de acordo com suas convicções.

Veja a vida e você mesmo a partir de uma perspectiva sensata e razoável. Não transforme os problemas em catástrofes e nem tenha uma reação excessiva diante das preocupações do dia-a-dia.

Seja optimista. O que você tem a perder se esperar que as coisas dêem certo?

Cultive o respeito mútuo. Você não pode esperar que os outros o respeitem se não tiver respeito por si mesmo. Ao mesmo tempo, respeite os outros. Compreenda que todo mundo, inclusive você, merece ser respeitado.

Sinta orgulho do seu trabalho. Compreenda que o trabalho de cada pessoa, não importa a tarefa desempenhada, representa uma contribuição à sociedade.

Estabeleça metas e expectativas realistas. O que você pode razoavelmente esperar de um determinado empreendimento ou situação?

Descubra actividades divertidas e dedique-se regularmente a elas.

"VIVA TUDO QUE PODE AGORA, PORQUE VIVER É A ÚNICA COISA QUE VOCE NÃO PODE DEIXAR PARA DEPOIS"

Jair Moretti – Consultor de Empresas (Sócio-Diretor da SCM-RH) – Master e Trainer em PNL

Superação


Superação é poder
fazer acontecer com
as ferramentas que
temos em mãos,
superação é trabalhar
da melhor forma possível
independente do que
pensem ou falem.
Superação é irmos
além do que os
outros acham que
somos capazes.

Enviado por Joana Sousa

27 junho 2008

Palavra do dia: Amor


Soneto da Fidelidade

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinícius de Moraes

O Menestrel

video

Performance Teatral: O Menestrel

Texto: Willian Shakespeare

Intérprete: Moacir Reis


Na infinidade da vida onde estou, tudo é Perfeito, pleno e completo.
Não escolho mais acreditar nas velhas carências e limitações.
Agora escolho começar a me ver como o Universo me vê: perfeito, pleno e completo.
A verdade do meu Ser é que fui criado perfeito, pleno e completo.
Eu agora sou perfeito, pleno e completo.
Sempre serei perfeito, pleno e completo.
Agora escolho viver minha vida a partir dessa compreensão.
Estou no lugar certo, na hora certa, fazendo o que é certo.
Tudo está bem no meu mundo.

Louise Hay

26 junho 2008

É verdade?

Louise Hay

A verdade é a parte imutável de mim

Tudo em que acreditamos torna-se verdade para nós. Se você sofreu um súbito desastre financeiro, é bem Possível que em algum nível você acredite que é indigno de ter dinheiro, encargos pesados e dívidas. Pode ser também que acredite que nada de bom pode durar muito, que a vida é sua inimiga ou, como OUÇO com tanta frequência, "Simplesmente não consigo vencer".
Se você parece incapaz de atrair um relacionamento, pode ser que acredite que "Ninguém me ama", ou sou indigno Talvez tema ser dominado como sua mãe era, ou pode ser que pense: "As pessoas só me magoam".
Se sua saúde é má, você pode acreditar que "A doença é comum na minha família" ou que você é uma vítima do clima.
A crença pode ser também: "Nasci para sofrer" ou "Sempre tenho alguma coisa".
Você pode também ter uma crença diferente, da qual nem mesmo esteja consciente. A maioria das pessoas não está e só vê as causas externas do acontecimento. Enquanto alguém não lhe mostra a ligação entre as experiências externas e os pensamentos internos, você continua sendo uma vítima da vida.
Seja qual for o problema, ele se origina num padrão de pensamento, e Padrões de pensamento podem ser modificados!
Esses Problemas com que lidamos e lutamos em nossas vidas podem dar a impressão de serem verdade, podem parecer verdade. No entanto, por mais difícil que seja a questão com que estamos lidando, ela é apenas o resultado externo ou o efeito de um padrão de pensamento interno.
Se você não sabe que pensamentos estão criando seus problemas, encontrou o lugar certo, pois este livro tem o objectivo de ajudá-lo a descobrir. Olhe para os problemas em sua vida.
Pergunte-se: Que tipo de pensamentos estou a ter para criar isto?
Se você se permitir sentar-se relaxadamente e fazer a si mesmo essa pergunta, sua inteligência interior lhe mostrará a resposta.

Trata-se apenas de uma crença que você aprendeu quando criança
Algumas coisas em que acreditamos são positivas e alimentadoras. Pensamentos assim são úteis a vida toda, como "Olhe para os dois lados antes de atravessar a rua".
Outros pensamentos são muito úteis no início, mas tornam-se inadequados à medida que vamos ficando mais velhos. "Não confie em estranhos" pode ser um bom conselho para uma criancinha. Todavia, para um adulto, continuar tendo essa crença apenas resultará na criação de isolamento e solidão.
Por que tão raramente nos sentamos e perguntamos a nós mesmos: "Isso é mesmo verdade?" Por exemplo, por que acredito em coisas como "Tenho dificuldade em aprender?"; "Isso é verdade para mim agora?"; "De onde veio essa crença?"; "Ser que ainda acredito nisso porque uma professora de primeiro grau me disse isso tantas vezes?"; "Não seria melhor eu me libertar dessa crença?"
Crenças como "Meninos não choram" e "Meninas não sobem em árvores" criam homens que escondem seus sentimentos e mulheres que têm medo de actividades físicas.
Se em criança lhe ensinaram que o mundo é um lugar assustador, tudo o que você ouvir que se ajusta a essa crença será aceito como verdade. O mesmo vale para "Não confie em estranhos". "Não saia de casa à noite" ou "Todos querem lhe passar a perna”.
Por outro lado, se no começo de nossa vida foi nos ensinado que o mundo é um lugar seguro, nossas crenças serão outras. Podemos facilmente aceitar que o amor está presente em todos os cantos, que as pessoas são afáveis e que sempre teremos o que precisamos.
Se em criança lhe ensinaram: "É tudo minha culpa" você andará por aí sempre se sentindo culpado, não importa o que aconteça. Sua crença o tornará alguém que está sempre dizendo: "Desculpe-me".
Se em criança você aprendeu a acreditar: "Eu não valho nada", essa crença sempre o manterá no fim da fila onde quer que esteja. Foi o que aconteceu na minha infância, quando não ganhei nenhum pedaço de bolo. Às vezes, quando outros deixam de notá-lo, você se sente invisível.
As circunstâncias de sua infância O ensinaram a acreditar: Ninguém me ama? Então, com toda a certeza, você é solitário suas amizades e relacionamentos têm curta duração.
Sua família o ensinou: "Não há o suficiente" - Tenho certeza de que você com frequência sente que a despensa está vazia, consegue ganhar apenas o bastante para sobreviver ou está sempre afundado em dívidas.
Tive um cliente que foi criado num lar onde acreditavam que tudo estava errado e só poderia piorar. Sua maior alegria era jogar ténis, mas um dia ele machucou o joelho. Foi a todos os médicos que conseguiu encontrar, mas o problema só piorava. Finalmente chegou ao ponto em que não pôde mais jogar.
Outro cliente, filho de um pastor de igreja, aprendeu quando criança que todas as outras pessoas tinham preferência antes deles, pois a família do pastor sempre deve ser a última atendida. Actualmente esse homem é óptimo em arranjar bons negócios para os seus clientes, mas em geral está cheio de dívidas, com pouco dinheiro no bolso. Sua crença ainda O faz ficar no último lugar da fila.

Louise Hay – Você pode curar sua vida

Me empresta a sua carteira?

Sam Jolen

Titulo estranho não? Fazer o que, eu precisava chamar sua atenção de alguma forma, e pode ter certeza que deu certo, afinal carteira é algo bastante pessoal, e até muitas vezes o ponto fraco de alguns. Pense quantas pessoas tem permissão de mexer na sua? Aposto que é um número pequeno, afinal, se você chega de surpresa, e encontra alguém revirando a sua carteira, aposto que ia ficaria com uma pulga atrás da orelha. Afinal é na carteira que guardamos nossos documentos, cartões de crédito, e principalmente o dinheiro.
Da mesma maneira, pergunto, você seria capaz (ou louco) de sair na rua agora, e entregar a sua carteira ao primeiro estranho que passasse? Poderia até dizer para o desconhecido: “será que você poderia segurar minha carteira um pouco? Eu já venho”. Aposto que se você tem um pouco de bom senso, com certeza não faria isso. Costumo usar bastante esse exemplo, e quando peço uma explicação do porque você não deixa sua carteira com uma pessoa qualquer na rua, costumo ouvir em 99% das vezes uma resposta mais ou menos assim: “como eu não conheço a pessoa, não posso confiar nela”
Provavelmente seja essa a sua resposta, e pode ter certeza que é a minha também. Afinal se minha mãe aparecesse segurando a minha carteira, não me importaria, pois não existe pessoa que eu possa conheça mais do que a minha mãe. A grande questão, é que de maneira alguma confiaria minha carteira a uma pessoa que eu nunca tenha visto antes, pelo simples motivo de que não posso confiar em alguém que não conheço. Essa é uma crença que pode ser desafiada facilmente, afinal você até pode encontrar ao acaso na multidão uma pessoa que seja boa e honesta, mas se você quer fazer o teste por conta e risco, vá em frente, mas com a sua carteira.
Talvez você esteja se perguntando nesse momento, “mas por que será que o Sam perderia o tempo dele escrevendo um artigo sobre emprestar carteira?” A grande verdade é que isso nada mais é do que uma grande metáfora sobre a vida. As pessoas são todas diferentes umas das outras, porem existe uma pergunta que ouço sempre, independente de onde esteja. É mais ou menos assim: “Sam, como eu faço para ter mais confiança?” ou algo como “Como eu posso ser mais seguro?”. Essa é uma grande dúvida de bilhares de pessoas no mundo todo, até mesmo eu já me perguntei isso varias vezes. E a melhor resposta que encontrei, por incrível que pareça tem a ver com a história da carteira.
Se você não confiaria nem a sua carteira a um estranho, quem dirá sua própria vida. E é exactamente isso que acontece, muitas vezes não somos seguros pois não nos conhecemos da maneira como deveria ser. E isso acaba gerando uma sensação de “entregar o controle da sua vida a um desconhecido”, mesmo que esse desconhecido seja você mesmo.
Pare e pense, será que você realmente se conhece como deveria? Pois é exactamente daí que a auto-segurança nasce. Quando nos conhecemos, sabemos quem somos e para onde estamos indo. Consequentemente passamos a agir de maneira muito mais confiante, tomando atitudes com muito mais facilidade e assumimos muito melhor os riscos e os desafios que surgem durante o caminho. Parece um bonito discurso, mas é exactamente essa a chave para a conquista.
Resumindo, a maneira de ser uma pessoa mais segura e tomar decisões com mais confiança, nada mais é do que se conhecer melhor, deixando de ser um estranho para si próprio, e passando a ser alguém que você sabe como irá reagir diante das mais diversas situações. A pergunta que surge agora é: “Como posso fazer para me conhecer melhor?”, e essa é uma daquelas questões dignas de serem respondidas por uma frase de Albert Einstein: “Existem perguntas tão boas, que não deveriam ser respondidas rapidamente”. Peço para que você pense e chegue as suas respostas, e depois disso compartilhe com os outros e também comigo e as pessoas que estão lendo esse artigo. Me envie por e-mail, e quando você ler a continuação desse artigo, verá todas as sugestões de como podemos fazer para nos conhecermos melhor. Vou ficar esperando.


Pergunta: Como podemos fazer para conhecermos melhor a nós mesmos?


Envie para o email contato@samjolen.com.br

Um grande abraço Sam Jolen

25 junho 2008

A Arte de Viver

Jair Moretti

A Busca da Felicidade e do Senso de Humor

A pessoa feliz não é aquela que se encontra em um determinado conjunto de circunstâncias, e sim aquela que possui um determinado conjunto de atitudes.

Hugh Downs

Alegre, jovial, enlevado, eufórico, exultante, como quer que você o chame, o sentimento de alegria é inspirador e satisfatório. É um estado no qual todos queremos estar, mas muitos de nós não sabemos como sentir alegria.
O que deixará você alegre e feliz? Encontrar o emprego ou o parceiro perfeito? Um carro novo em folha? A casa dos seus sonhos? Até mesmo as coisas que parecem produzir alegria têm os seus aspectos negativos. O emprego “perfeito” encerra responsabilidades e algumas delas você apreciaria, mas outras detestaria. Depois de conviver no dia-a-dia com uma pessoa, você descobre que o parceiro ideal tem defeitos. Os carros e as casas novos precisam de manutenção.
Vamos fazer de novo a mesma pergunta: “O que deixará você alegre e feliz?” A resposta é simples: você mesmo! Os sentimentos de alegria e felicidade, assim como as outras emoções, surgem de dentro de nós e não de fatores externos.
Vamos repetir o que temos dito o tempo todo: as emoções provêm dos nossos propósitos, convicções e pensamentos; coisas que podemos mudar.
As pessoas alegres assumem a responsabilidade pela própria felicidade. Elas também reconhecem o valor do humor. Uma vida sem senso de humor não leva à felicidade! Como afirma Garcy McKay: “Você pode viajar pela vida sem senso de humor, mas não apreciará a viagem.” Assim sendo, neste artigo, vamos também discutir como o humor contribui para um estado de alegria.
Como tem sido abordado em minhas palestras vamos refletir sobre o “glossário energizante”, que dá idéias de como podemos desenvolver o senso de humor e uma atitude alegre, e também desafiar qualquer pensamento negativo:

Abertura. Ser aberto, sincero e coerente significa que você é capaz de compartilhar o que sinceramente sente, acredita, pensa e experimenta sem tentar de nenhuma maneira manipular as coisas. Você se sente seguro para compartilhar as suas convicções sinceras e permitir que os outros façam a mesma coisa.

Aceitar e Afirmar. Criar declarações positivas que reforcem a auto-afirmação e aumentem a auto-aceitação. Por exemplo: “Sou uma pessoa capaz e segura. Tenho confiança em mim mesmo. Tenho um sentimento positivo com relação a esta experiência”.

Afinidade. Envolve acreditar que você está ligado aos outros como se fosse irmão ou irmã deles você nada tem a ganhar comparando-se com os outros ou explorando-os. Em vez disso, deixe que o companheirismo e a cooperação trabalhem para o bem de todos.

Alegria. A habilidade de desenvolver um sentimento de prazer, inspiração e entusiasmo. A alegria pode se desenvolver a partir do seu íntimo, das suas convicções e atitudes diante da vida, e não é apenas o resultado de acontecimentos externos e nem mesmo do feedback que você recebe.

Auto-estima e interesse social. A auto-estima é um sentimento de mérito e valor criado interiormente. Ele não depende das suas realizações; ele é apenas a aceitação total de quem você é com todas as suas qualidades e defeitos. O interesse social é a capacidade de dar e receber, e de cooperar com os outros. A combinação da auto-estima como interesse social resulta em sentimentos de satisfação, aceitação, entusiasmo e energia – um estado natural de euforia.

Bem-estar. Aprenda a alcançar o bem-estar físico e mental, assim como a gerar o bem-estar, e a sua energia vital aumentará enormemente. As convicções positivas, o exercício físico e os hábitos saudáveis contribuem para o bem-estar.

Compreender as suas convicções, sentimentos, valores, prioridades e metas o ajudará a se sentir mais à vontade consigo mesmo e mais bem-sucedido nos seus relacionamentos.

Confiança. Confiar nos seus julgamentos e sentimentos bem como nos dos outros. Aprender a tomar consciência dos seus sentimentos. A falta de percepção torna difícil confiar nos outros. Alem disso, as outras pessoas podem não confiar em você se não sentirem que tem confiança nelas.

Coragem. Estar disposto a fazer um esforço e se arriscar. Livrar-se das atitudes hesitantes, desanimadas e debilitantes.

Derrotar o desânimo. Desafiar qualquer pensamento de desânimo e concetrar-se em algum aspecto positivo do pensamento. Acreditar que cometer erros é perigoso ou que você precisa ser perfeito em tudo que faz restringe os seus movimentos. Quando você começa a reconhecer que é aceitável tentar, que os erros são apenas passos em direção ao sucesso, você passa a ter uma perspectiva diferente com relação ao seu potencial.

Emoções positivas. Ajudam a enxergar maneiras de afastar-se das emoções negativas e beneficiar-se da energia que se origina do fato de você ser positivo. As emoções positivas fortalecem as pessoas e oferecem um caminho para uma vida alegre, feliz e satisfatória.

Encorajar. A capacidade de enxergar os aspectos positivos, o potencial e as possibilidades de qualquer esforço. Quando você encoraja os outros, você também aprende a estimulas a si mesmo.

Entusiasmo. O anseio e o envolvimento com o processo global da vida em geral, uma abordagem entusiástica à vida. Você pode, por exemplo, decidir encarar as dificuldades da vida como desafios a ser enfrentados em vez de problemas a ser superados. Os desafios podem conferir energia e desencorajar.

Excelência. A excelência é o desejo de fazer o melhor possível, mas sem necessidade de comparações. Você pode sentir que “não é bom o suficiente” quando comparado com os outros, mas precisa entender que não precisa realmente ser melhor ou pior do que ninguém. Você tem que fazer o melhor que pode e aceitar o fato de que seu desempenho é único e digno de mérito.

Feedback. O feedback energiza um relacionamento se ele comunica com clareza e sensibilidade as suas atitudes e sentimentos á outra pessoa. O seu feedback não requer que o outro mude, mas abre a comunicação para que um entendimento mais claro do ponto de vista do outro tenha lugar. O feedback pode transmitir à outra pessoa: “Eis o que estou ouvindo você dizer!, “ Esta é a experiência que estou tendo de você”, ou “estou sentindo...”, ou "na minha percepção...".

Garra. Se você quer que alguma coisa aconteça na sua vida, como um emprego ou uma promoção, faça um esforço para consegui-lo. Esteja disposto a se arriscar em vez de ficar sentado esperando que o que você quer venha até você. A pessoa que tem garra é dinâmica e acredita nela mesma.
Igualdade. Ser igual não significa que você seja o mesmo que os outros. Quer dizer simplesmente que, no que diz respeito ao valor humano, você não é melhor nem pior do que ninguém. Como disse Rudolf Dreikurs: “Estamos todos no mesmo barco, com remos ligeiramente diferentes”. Quando você se interessa pela igualdade, você se concentra nas semelhanças entre você e os outros em vez de nas diferenças.

Largar mão. Ceder. Desistir, parar de se agarrar a coisas que precisam ser liberadas. Os antigos sentimentos da raiva, o desejo de vingança, a vontade de ir à forra, os pensamentos negativos só aumentam a sua infelicidade. Liberte-se do que é nocivo. Abra espaço para o positivo.

Levantar o astral. Descubra em alguém algo positivo que você possa apoiar e estimular. Externe seus sentimentos positivos e seu apoio para que a pessoa se sinta estimulada e mais capaz de enfrentar os desafios da vida. Dê uma “injeção de ânimo” na auto-estima da outra pessoa.

Meditação. Confere a oportunidade de clarear a mente e concentrar-se no positivo, por meio de um processo convergente energizante e que gera um estado de paz.

Parar de discutir. Ao parar de discutir, você reduz a tensão e a discórdia que frequentemente surgem de querer “ter razão”, tentar controlar as coisas ou fazer com que elas sejam do jeito que você quer. Se você estiver disposto a abandonar esses objetivos competitivos, não haverá motivos para brigar.

Receptividade. A capacidade de captar os sentimentos da outra pessoa, identificá-los e responder a eles com sensibilidade. Você pode fazer isso dizendo: “Consigo entender o que você esta sentindo. Você esta muito triste. Você parece zangado e aborrecido. Você parece sentir que as pessoas não estão sendo justas com você”.

Riso. O remédio para o espírito e a alma. Também já foi demonstrado que ele exerce consideráveis benefícios físicos e psicológicos. Quando você ri, você se sente melhor. É realmente bem simples.

Senso de humor. A capacidade de ver tudo de uma maneira sensata e razoável, ser capaz de enxergar o lado leve e engraçado de qualquer problema. As pessoas espirituosas têm a capacidade de realizar mudanças de percepção repentinas para ser capazes de enxergar o potencial positivo no que parece ser um evento negativo.

Valorização. O desenvolvimento do seu senso de valor pode ser ajudado pela auto-afirmação: você aprende a aceitar e declarar sentimentos e convicções positivos a respeito de si mesmo. Quando você verdadeiramente se valoriza, você se torna capaz de comunicar claramente aos outros que você dá valor a eles.

Viver no presente. Quando você vive conscientemente aqui e agora, você se conscientiza e valoriza sistematicamente o lugar onde você está em cada momento. Você não se dedica mais a olhar para o passado com arrependimento e culpa, e tampouco fica apreensivo ou receoso por causa do futuro. Em vez disso, você reconhece o valor preciso do momento presente.

Jair Moretti - Consultor de Empresas (Diretor da SCM-RH), Master e Trainer em PNL

Feedback - sessão 21 de Junho

Olá a todos,

Vou aproveitar esta oportunidade para felicitar ao CDRH pela organização deste grupo de estudos, que acho uma ideia com um potencial tremendo , parabéns pelo blogue e de pelas iniciativas no sentido de divulgação desta ciência que ainda tem tanto por descobrir, e eu tanto para aprender sobre ela.

Gostaria ainda de manifestar a minha disponibilidade para ajudar no que puder, pois acho que esta iniciativa pode ajudar muitas pessoas que se deparam com dificuldades no seu dia a dia, e que nem sempre conhecem as melhores ferramentas enfrentar esse gigantesco desafio, que se afinal se chama apenas, viver...

Deixo aqui algumas obras que me ajudaram muito a entender mais um pouco, de como tentar ser uma pessoa melhor, todos os dias.

Poder sem Limites de Anthony Robbins

As Suas Zonas Erróneas de Dr. Wayne W. Dyer

Os Homens são de Marte as Mulheres de Vénus de John Gray


Acho que com a ajuda uns dos outros podemos alcançar os nossos objectivos comuns de uma forma bem mais simples .

Não hesitem em contactar

Best regards,

Hugo Sanina
Hugo Sanina participou da sessão do Grupo de Estudo PNL - Lisboa realizada no dia 21 de Junho.
Obrigado, Hugo pela sua participação e pelas palavras de incentivo.
Teresa

20 junho 2008

A menina que silenciou as Nações Unidas

Esta mensagem apresenta o discurso da menina canadiana Severn Cullis-Suzuki, na Conferência das Nações Unidas Sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a ECO 92, no Rio de Janeiro, em Junho de 1992.
Severn, na época com apenas doze anos de idade, foi, sem sombra de qualquer dúvida, uma dessas crianças que chegaram prontas a este mundo. E decididas, também, a lutar por ele...
Aos nove anos de idade, Severn Cullins-Suzuki, fundou a “Environmental Children´s Organization – ECO”, uma entidade formada por crianças que desejavam defender o meio ambiente.
Em 1993, aos treze anos de idade, a Doubleday publicou “Tell the World”, seu livro de 32 páginas de passos ambientais para famílias.
Ainda em 1993, na Cidade de Pequim, na China, recebeu uma condecoração por parte da Organização das Nações Unidas.
Em 1997, Severn Cullis Suzuki participou da Comissão da Carta da Terra, exercendo um cargo no Comité Director. Ela estava, na época, com apenas dezessete anos de idade.
Na primavera de 2002, auxiliou o lançamento do projecto Skyfish, baseado na Internet. Integrou o Painel Especial de Consultoria de Kofi Annan, Secretário-Geral da ONU.
Severn promoveu uma série de programas de televisão, dentre eles Suzuki´s Nature Quest, programa para crianças que foi ao ar, em 2002, pela Discovery Channel.
Hoje, com 29 anos de idade, Severn é uma pessoa mundialmente conhecida pelo seu profundo envolvimento com as questões sociais e ambientais.
video

18 junho 2008

Nasceu o Grupo de Estudo PNL - Natal!


Acaba de ser criado o Grupo de Estudo PNL - Natal!

O Grupo de Estudo PNL – Natal é um projecto internacional que tem raízes no Brasil, nasceu de uma parceria da Empresa Humano Center (Natal-Brasil) com as empresas CDRH- Consultores - (Lisboa), IDEP -Instituto de Desenvolvimento Pessoal e Profissional e Sam Jolen Coaching e Treinamentos (São Paulo - Brasil).

As responsáveis pelo Grupo de Estudo PNL - Natal são as Trainers Roberta Forastieri e Karina Braga, Directoras da HumanoCenter.

17 junho 2008

Acerte o Rumo para a sua Forma Ideal!


Patrícia França

Sejam bem vindos ao nosso projecto “Vida em forma”! Tenho certeza de que já estará fazendo uma grande diferença em sua vida na medida em que você percorre estas linhas.
Quando falamos em “perda de peso” ou “emagrecimento” continuamos a manter o foco de nossa mente no “peso”, ou seja, no “problema”.
Ninguém gosta de perder não é mesmo? Pense em o que mais você vai ganhar de valioso quando chegar a sua forma desejada.

Que tal pensar em SAÚDE, BEM-ESTAR SISTÊMICO ao invés de “perder peso” “emagrecer”...
Como é já sentir isso? Como soa?

Estudos sobre o sucesso mostram-nos que o primeiro passo para alcançá-lo é a boa formulação de nossos objectivos, porque nem sempre sabemos o que estamos procurando. E se isso for verdade, podemos estar bem diante da solução sem perceber.
Para isso, precisamos definir com antecedência o resultado o qual desejamos.

Depois e muitos anos vivendo na pele o “efeito sanfona”, fazendo dietas “insanas”, passando fome, tomando fórmulas loucas e me exercitando á exaustão, encontrei a paz e o equilíbrio saudável que antes jamais podia imaginar. Não sou a única pessoa a conseguir este feito.

Esta “indústria da forma” move milhões de dólares por ano.
Como sou psicóloga e trabalho com Programação Neurolinguística, Hipnose e Coach, reuni todas as informações práticas, que considero de fundamental importância. Tudo isso se transformou num curso, vivencial com o objectivo de passar adiante o outro olhar. Tenho certeza de que este novo olhar quando se misturar com o seu olhar, com tudo aquilo que o leitor já conhece e ainda vai aprender vai fazer uma grande diferença nas mudanças que estão prestes a acontecer.
Reuni todas as informações que considero de qualidade, aprendizados e ferramentas de trabalho para aqueles que ainda não quebraram o padrão sanfona ou ainda acreditam que não conseguirão chegar ao objetivo da forma desejada e permanecer. Isso pode já estar fazendo uma grande diferença!

Considero 5 os pilares mais importantes nesta dinâmica da forma ideal.
São eles: Genética, alimentação, exercícios, emoções, sono.


GENÉTICA
O peso ideal depende de inúmeros factores e devemos respeitar nossos limites e características pré-determinadas geneticamente. Antes de formular um objectivo corporal temos que reconhecer que temos uma estrutura. Uma pessoa com uma estrutura óssea larga, grande, jamais será um tipo longilíneo estilo modelo de passarela. Portanto seja realista e quando traçar a meta, leve em conta a sua estrutura. Todos podem ser igualmente esbeltos independente da estrutura física. A velocidade metabólica também é pré-determinada geneticamente. Tanto é que existem aquelas pessoas que são muito magras e comem o que querem. No entanto, existem formas de acelerar um pouco com alimentação e exercícios. Para isso é essencial o acompanhamento de um profissional competente.

ALIMENTAÇÃO
O mais importante de todos os pilares. É através da alimentação que repomos os elementos necessários á vida e ao bom funcionamento desta importante e fundamental máquina que é o corpo humano. Sem alimento o corpo não funciona direito e o cérebro fica burro. Uma dieta drástica feita que qualquer maneira, ficar muitas horas sem comer, é uma agressão ao corpo e muitas vezes o que acontece é a desaceleração do metabolismo. Perder mais do que 1 kg por semana pode ser prejudicial ao corpo. A balança não difere o que é água, gordura, músculo...Talvez aquele peso que você idealizou a vida inteira não seja o ideal para a sua estrutura!! Músculo pesa mais do que gordura! Esqueça o peso que você imagina que é o certo e lembre-se de pensar na sua forma ideal. Livre-se deste peso! Procure um profissional que vai avaliar a percentagem de gordura corporal e desenhar um esquema de alimentação que seja prazeroso para você. O prazer é importante!

EXERCÍCIOS
Já está mais do que provado que os exercícios são fundamentais para qualidade de vida. Além de melhorar a saúde como um todo eles promovem químicas benéficas, como a liberação de endorfinas que melhoram o humor, os pensamentos e lhe trazem uma sensação de bem-estar.

SONO
Quando dormimos estamos dando ao nosso corpo tempo para que ele se refaça. Muitos não sabem, mas quando dormimos e entramos no sono profundo nosso corpo libera uma hormona importantíssima que é produzida na hipófise conhecido com GH. Ele é o responsável por várias funções como: crescimento de unha, cabelo, refaz os tecidos, cicatriza os machucados e além disso ajuda no processo de queima de gordura. O GH só é liberado no sono profundo e tem um papel importante no transporte da gordura para dentro da célula, onde ela é queimada no “forninho” chamado mitocôndrias. Por isso dormir bem também ajuda no processo.

EMOÇÕES
Chamo de emoções todos os processos mentais e ou emocionais que podem estar empacando o alcance da meta da forma desejada. Pode ser uma crença, um padrão...
Este último pilar pode ser consciente ou não. Quando todos os pilares mencionados acima estiverem ajustados, de acordo com o seu estilo de vida e mesmo assim você se sentir “empacado”, é ai que vamos mexer!!

OBS: Isso vale para as pessoas que não tem disfunção endócrina. Um acompanhamento médico é fundamental.

Tudo isso e muito mais você encontra no nosso curso “Vida em Forma” que está ai para você ou para aquela pessoa que você vai indicar...
Entre em contacto connosco para ter o prazer de fazer esta viagem da Boa Forma! Tenha um Vida em Forma!
Increva-se também na comunidade VIDA EM FORMA no ORKUT!!!

Um beijo e até a próxima edição com dicas de uma Vida em Forma!

Patrícia França é Psicóloga, Hipnoterapeuta Licenciada e registrada na Grã-Bretanha, Coach, Master Practitioner e Trainer em PNL, escritora e conferencista internacional.

14 junho 2008

Aviso


Atitude




Sair da Zona de Conforto e agir!

" As pessoas já têm todos os recursos de que necessitam para agir de forma efectiva e ter sucesso."

Libertando-se da sua mente

O que você quer dizer exactamente por “observar o pensador”?

Quando alguém vai ao médico e diz: “Ouço uma voz dentro da minha cabeça”, provavelmente será encaminhado a um psiquiatra. De uma forma ou de outra, praticamente todas as pessoas ouvem uma voz, ou algumas vozes, o tempo todo dentro da cabeça. São os processos involuntários do pensar – que acreditamos que não podemos interromper –, manifestando-se como monólogos ou diálogos contínuos.
Você já deve ter cruzado na rua com pessoas “doidas” falando sem parar ou resmungando consigo mesmas. Isso não tem nada de diferente do que acontece com você e com outras pessoas “normais”, excepto que vocês não falam alto. A voz comenta, especula, julga, compara, desculpa, gosta, desgosta, etc. A voz não precisa ser relevante para a situação do momento, pois ela pode estar revivendo o passado recente ou remoto, ou ensaiando, ou imaginando possíveis situações futuras. Neste último caso, ela imagina sempre as coisas indo mal e com resultados desfavoráveis. É o que se chama de preocupação. Às vezes, essa trilha sonora e acompanhada de imagens ou “filmes mentais”.
Mesmo que tenha alguma relação com o momento, a voz será interpretada em termos do passado. Isso acontece porque a voz pertence à mente condicionada, que é o resultado de toda a nossa história passada, bem como dos valores culturais colectivos que herdamos. Assim, vemos e julgamos o presente com os olhos do passado e construímos uma imagem totalmente distorcida. Não é raro que a voz se torne o pior inimigo de nós mesmos. Muitas pessoas vivem com um torturador em suas cabeças, que as ataca e pune sem parar, drenando
sua energia vital. Essa é a causa de muita angústia e infelicidade, assim como de doenças.
A boa notícia é que podemos nos libertar de nossas mentes. Essa é a única libertação verdadeira. Dê o primeiro passo nesse exacto momento. Comece a prestar atenção ao que a voz diz, principalmente a padrões repetitivos de pensamento, aquelas velhas trilhas sonoras que você escuta dentro da sua cabeça há anos. É isso que quero dizer com “observar o pensador”. É um outro modo de dizer o seguinte: ouça a voz dentro da sua cabeça, esteja lá presente, como uma testemunha.
Seja imparcial ao ouvir a voz, não julgue nada. Não julgue ou condene o que você ouve, porque fazer isso significaria que a mesma voz acabou de voltar pela porta dos fundos. Você logo perceberá: lá está a voz e aqui estou eu, ouvindo-a e observando-a. Sentir a própria presença não é um pensamento, é algo que surge de um ponto além da mente.
Assim, ouvir um pensamento significa que você está consciente não só do pensamento, mas também de você mesmo, como uma testemunha daquele pensamento. Isso acontece porque uma nova dimensão da consciência acabou de surgir. Quando você ouve o pensamento, sente uma presença consciente, que é o seu eu interior mais profundo, por trás ou por baixo do pensamento. O pensamento, então, perde o poder que exerce sobre você e se afasta rapidamente, porque a mente não está mais recebendo a energia gerada pela sua identificação com ela.
Esse é o começo do fim do pensamento involuntário e compulsivo.

Fonte: O Poder do Agora - Eckhart Tolle

A Idade para ser Feliz


Mario Quintana
Existe somente uma idade para a gente ser feliz.

Somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-los, a despeito de todas as dificuldade e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida à nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores.

Tempo de entusiasmo e coragem em que todo desafio é mais um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo novo, de novo e de novo, e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE, também conhecida como AGORA ou JÁ e tem a duração do instante que passa...

12 junho 2008

Parabéns!

Parabéns ao querido José Figueira pelos 4 anos de sucesso do seu blogue PNL-PORTUGAL

Vale a pena conferir!

Um abraço carinhoso de toda a equipa CDRH.
Imagem Flickr

08 junho 2008

Virginia Satir


Virginia Satir é por muitos considerada como uma das figuras mais importantes dos métodos modernos da 'terapia' sistémica familiar. Aclamada internacionalmente como terapeuta, palestrante, trainer e escritora, Satir foi uma das pessoas do grupo original de terapeutas excepcionais modeladas por Bandler e Grinder a fim de criar o Meta Modelo e outras técnicas básicas da PNL. Seu primeiro livro, Conjoint Family Therapy, publicado em 1964, permanece um clássico no seu campo e já foi traduzido em diversas línguas. Ela escreveu e participou em outros onze livros, entre eles Peoplemaking (1972) e Changing with Families (1976), em co-autoria com os criadores da PNL Richard Bandler e John Grinder.

Satir começou suas actividades trabalhando com famílias no Dallas Child Guidance Center e por quatro anos no Illinois State Psychiatric Institute. Em 1959, Virginia foi convidada para juntar-se a Don Jackson, Jules Raskin e Gregory Bateson para começar o prestigioso Mental Research Institute em Palo Alto, na Califórnia. Juntos, eles criaram o primeiro programa nacional em Terapia Familiar.

Como terapeuta e professora, Satir era conhecida por sua simpatia especial e por seu extraordinário insight na comunicação humana e auto-estima. Por volta dos anos 70, Satir viajava e ensinava as pessoas ao redor do mundo através dos seus livros, workshops e seminários de treinamento.

A primeira vez que Richard Bandler encontrou Virginia Satir foi no início da década de 70, quando ele estava trabalhando com a editora dela, Science and Behavior Books, editando as anotações de Fritz Perls para o livro Eyewitness to Therapy. A companhia editora decidiu lançar um livro similar sobre o trabalho de Satir, e contratou Bandler para gravar um workshop dela no Cold Mountain Institute, perto de Vancouver. De acordo com Bandler, ele não prestou atenção consciente para o que Satir estava ensinando, se concentrando na gravação. (Conta a lenda que Bandler controlava o nível do som da gravação num ouvido, enquanto ouvia Pink Floyd no outro.) Entretanto, no final do workshop, quando Satir estava testando e supervisionando os participantes com relação ao que eles haviam incorporado do trabalho dela, Bandler se deu conta que ele sabia muito mais do que qualquer outro participante. Ele a tinha modelado "implicitamente" ao distrair sua mente consciente com a gravação. Impressionada com as habilidades dele, Satir começou a trabalhar para que Bandler se tornasse um terapeuta.

Junto com John Grinder, Bandler modelou explicitamente os métodos terapêuticos de Satir, descrevendo-os nos livros A Estrutura da Magia, volumes I e II (1975-1976) e Changing with Families (1976). Algumas das mais importantes técnicas da PNL, como predicados verbalmente combinados do sistema representacional, ressignificação e negociação entre partes foram directamente inspiradas nas habilidades e procedimentos terapêuticos de Satir.

Uma marca registrada do trabalho de Satir, por exemplo, era treinar as pessoas para contactar e interagir com as partes internas delas mesmas, especialmente as partes modeladas dos membros familiares. Ela desenvolveu a técnica de realizar uma "festa das partes" na qual uma pessoa poderia designar outras pessoas para 'tomar o lugar' das várias partes dele ou dela mesma. Cada jogador representaria as características da 'parte' particular que ele ou ela estava apresentando. As chamadas "posturas de Satir" (Acusador, Apaziguador, Congruente e Evasivo) foram utilizadas como modelo para treinar as pessoas a representar e melhor entender os aspectos importantes das suas partes e dos membros familiares. O grupo de 'partes' iria realizar as reuniões e ficar comprometido com os diálogos sobre tópicos ou decisões particulares, treinados por Satir. Essas reuniões das partes também implicariam na escolha de um tipo de "presidente" cujo papel era facilitar a reunião ao estar em "meta posição" em relação a eles.

Em 1977, Virginia Satir reuniu um grupo de associados para formar uma organização para lhe auxiliar a expandir e a propagar os princípios básicos do seu trabalho. Ela chamou a organização de AVANTA, que significa "mover para frente" em latim. Atualmente Avanta tem 250 membros em cerca de 18 países, bem como 13 grupos afiliados. Oriundos de diversos campos profissionais e estilos de vida, eles suportam a missão da Avanta com o seu tempo, energia e recursos.

Texto traduzido e adaptado da Encyclopedia of Systemic NLP and New Code de Robert Dilts e Judith DeLozier

Fonte: Site Golfinho

Ouse fazer e o poder lhe será dado

No instante em que é tomada uma nova decisão, entra em movimento uma nova causa, efeito, direcção e destino para a sua vida. Literalmente, você começa a mudar sua existência no momento em que toma uma nova decisão.

(Anthony Robbins do livro “Desperte o gigante interior”)

04 junho 2008

Apresentação

Olá,

Saudações a todos os colegas e visitantes do Blog Grupo de Estudos de PNL. É um prazer poder contribuir e estar ao lado de vocês divulgando e estudando a PNL.

Minha primeira postagem é uma definição de Programação Neurolinguística feita pela Virginia Satir no livro "Usando sua Mente" escrito por Richard Bandler. Simples, porém reflete exatamente o que nós, praticantes da PNL, comprovamos todos os dias.

Há um fator em especial que indica o que é a PNL. Não se trata de grupo de técnicas, e sim de uma atitude. É uma atitude que diz respeito à curiosidade, à vontade de querer conhecer coisas novas, e ser capaz de influenciar fatos, de uma forma útil. Qualquer coisa pode ser mudada.

Um abraço a todos.

Rodrigo Zambon
Descubra PNL

03 junho 2008

Apreciar a Vida

A vida é algo muito mais simples do que todas as pessoas imaginam. Muito mais simples até do que eu jamais sonhei. Pessoas vão de um lado para o outro, com problemas ilusórios, achando que, se não se entregarem ao que está dando errando, jamais se tornarão alguém que preste. Porem o que encontram é apenas aborrecimentos e falta de encantos com a vida, essa que deveria ser tudo, mas passa a valer menos que as pedras do dia-a-dia.

E você? O quanto permite que os erros que precisam ser concertados, tirem o prazer que sua vida pode oferecer? Quantas vezes você olha pro céu, olha para o mar, olha para as maravilhas da vida, ou para você mesmo? Um olhar de verdade, daqueles onde prestamos atenção nos mínimos detalhes, deixando de lado todos os pensamentos impuros que poluem nossa mente de lado, e nos entregando de corpo e alma para o prazer que a vida pode proporcionar aos que conhecem o segredo.

Segredo esse, que só acredita quem nunca alcança, afinal o caminho da felicidade é o mais simples e obvio possível. Basta apenas apreciar degrau por degrau, que a vista do final da escada será sempre maravilhosa, independente do que ela mirar.

Use essas palavras mal escritas, por que de nada valem elas no papel ou na tela do computador, elas só valem se causam algum efeito em suas vidas, para que você faça algo por você. Pois só você pode salvar sua vida, e só você pode se fazer feliz.

Um grande Abraço Sam Jolen

02 junho 2008

Parabéns Teresa

Teresa,



PARABÉNS pelo excelente trabalho,

fica prometida a minha participação com mais frequência no Blog, rápidamente vou colocar alguns artigos.

Bjs

Diante de uma criança




Carlos Drummond de Andrade

Como fazer feliz meu filho?
Não há receitas para tal.
Todo o saber, todo o meu brilho
de vaidosa intelectual

vacila ante a interrogação
gravada em mim, impressa no ar.
Bola, bombons, patinação
talvez bastem para encantar?

Imprevistas, fartas mesadas,
louvores, prêmios, complacências,
milhões de coisas desejadas,
concedidas sem reticências?

Liberdade alheia a limites,
perdão de erros, sem julgamento,
e dizer-lhe que estamos quites,
conforme a lei do esquecimento?

Submeter-se à sua vontade
sem ponderar, sem discutir?
Dar-lhe tudo aquilo que há
de entontecer um grão-vizir?

E se depois de tanto mimo
que o atraia, ele se sente
pobre, sem paz e sem arrimo,
alma vazia, amargamente?

Não é feliz. Mas que fazer
para consolo desta criança?
Como em seu íntimo acender
uma fagulha de confiança?

Eis que acode meu coração
e oferece, como uma flor,
a doçura desta lição:
dar a meu filho meu amor.

Pois o amor resgata a pobreza,
vence o tédio, ilumina o dia
e instaura em nossa natureza
a imperecível alegria.

01 junho 2008

It's a Kind of Magic



Practitioner em Programação Neurolinguística

A Programação Neurolinguística (PNL) estuda a estrutura da experiência subjectiva, como o cérebro e a mente funcionam, como estruturamos o pensamento, a emoção e a comunicação.

As poderosas técnicas e ferramentas da PNL são de aplicação prática, imediata e efectiva para a conquista de metas e realização pessoal e profissional.

O Practitioner é o curso inicial na aprendizagem da Programação Neurolinguística no qual o participante interioriza os conceitos e técnicas fundamentais para a aplicação pessoal, profissional e na prática terapêutica.

Os principais temas abordados neste curso são:
-Descobrir como criamos a nossa realidade através da percepção;
-Utilizar a verdadeira linguagem do cérebro;
-Como trabalhar com Metas
-Programação Neurolinguística aplicada à Aprendizagem;
-Programação Neurolinguística aplicada Comunicação e Relacionamentos;
-Técnicas básicas e avançadas de Mudança;
-Programação Neurolinguística aplicada Criatividade;
-Programação Neurolinguística aplicada Saúde;
-Programação Neurolinguística aplicada Liderança;
-Padrões de Linguagem hipnótica e Metáforas.

Informações e Inscrições:
CDRH – Consultores
Tel: 21 7152040 / Telemóvel: 91 844 9880
E-mail: geral@cdrh-consultores.com