28 setembro 2008

Danças Circulares ou Danças dos Povos

Danças Circulares Sagradas, ou Danças dos Povos
Estes são os nomes que definem um trabalho ímpar, desenvolvido no Brasil desde 1993 e que vem se espalhando com muita força em todos os estados deste grande país.
“A dança sempre foi o modo natural do homem se harmonizar como o Cosmos. Trabalhar a dança e a música de outra cultura permite respeitar as diversidades culturais”, explica Renata Ramos uma das pioneiras desse trabalho no Brasil.

Origem
A metodologia de trabalho com as Danças Circulares Sagradas foi criada por Bernhard Wosien (1908-1986) - alemão, bailarino e pedagogo da dança - a partir de sua pesquisa com as Danças Folclóricas e Étnicas da Europa Oriental, iniciada em 1952.
Contagiado pela alegria e vibração das danças populares, Bernhard idealizou uma proposta de utilização para as áreas de educação e saúde. As danças que no seu formato tradicional não eram em círculo, foram adaptadas, para conectar profundamente as pessoas na roda. Assim nascia a "Sacred Dance" - Dança Sagrada, na qual o "sagrado" diz respeito ao poder de elevação do espírito humano, associado à prática da dança e não a uma religião propriamente dita.
Nos últimos 25 anos de vida, o agora "dançarino", dedicou-se integralmente a pesquisar e ensinar as danças de roda como pedagogia e terapia de grupo em instituições educacionais e clínicas nas áreas de Serviço Social e Terapia Ocupacional.
Em 1976, aos 68 anos, Bernhard foi convidado a implantar as Danças Sagradas na Fundação Findhorn -Centro Internacional de Educação Transdisciplinar, fundado em 1962, na Escócia. Um convite que foi determinante para a expansão do movimento das Danças no mundo.
Desde 1976, Findhorn promove anualmente em Julho, o Festival Internacional de Danças Circulares Sagradas, que tem contribuído para trocas valiosas entre os povos e o enriquecimento do repertório. São danças tradicionais e contemporâneas dos quatro cantos do mundo - Ásia, Europa, África e América.

Áreas de Aplicação:
Organizações públicas e privadas - Empresas, Escolas, Hospitais - Comunidades, Grupos de Desenvolvimento Humano e Profissional, Encontros, Palestras e Celebrações

A Dança Circular é cooperativa por natureza. Assim, nos tempos actuais, quando as pessoas estão buscando caminhos para harmonizar as diferenças, este tipo de proposta cai como uma luva por sua simplicidade e profundidade. Em roda, de mãos dadas, olhos nos olhos, o resgate das danças folclóricas traz a ancestralidade à flor da pele e conecta cores, raças, tempos e espaços, acessando outros níveis de consciência e percepção. Esta prática prepara o ser humano para uma nova etapa da humanidade, onde harmonia e paz serão reflexos de atitudes de cooperação e comunhão.

Por todas estas razões, a aplicabilidade das Danças Circulares Sagradas não tem limite. Ela está sendo vivida nos mais diferentes espaços de convivência: empresas, presídios, escolas, instituições, órgãos públicos, hospitais e qualquer lugar que abrigue seres humanos precisando de paz, calor humano, amor e compaixão.

Alguns Benefícios:
1. Harmonia entre corpo-mente-espírito;
2. Elevação da Auto-estima
3. Consciência corporal - coordenação motora, ritmo, sintonia, flexibilidade;
4. Aprendizagem criativa, o desenvolvimento da inteligência integral e expansão de habilidades, incluindo-se a intuição, o imaginário, a sensibilidade e o corpo no processo de receber e transmitir conhecimentos;
5. Ampliação do potencial humano com a vivência da arte, do lúdico, do belo, do prazer, da alegria e da conexão com o sagrado;
6. Reconhecer e Valorizar as Identidades Culturais diversas, para o encontro criativo e harmónico com os outros povos - enraizar para a globalização consciente.
7. Sensibilização para a vivência de Valores Humanos e Princípios Éticos Universais - Respeito e inclusão do diferente, através do contacto ético e estético com pessoas e culturas diversas;
8. Aprender a Conhecer - competência cognitiva; Aprender a Fazer - competência técnica; Aprender a Conviver - competência social; Aprender a Ser - competência humana: os quatro pilares básicos da educação sustentável, recomendados pela UNESCO.

É assim mesmo que acontece com quem entra na roda.
O caminho para descobrir é simples: entre na roda e viva esse sabor!


De Mãos Dadas, experenciamos Alegria.
De Mãos Dadas, experenciamos a Unidade.
De Mãos Dadas, experenciamos a Cooperação.
(Renata Ramos)


Renata Ramos é focalizadora de Danças Circulares Sagradas desde 1993 e ministra cursos no Brasil.

Fontes:

1 comentário:

Maria disse...

A dança circular nos retorna a capacidade de nos sentirmos parte do todo, parte essencial para o todo, expurgando o sentimento separatista de isolamento, de solidão na multidão. Na dança comunhamos o melhor,o mais sutil de nós , entre nós.